O Confeiteiro

Minha foto
...”Sempre que acordo Com a intenção de não ser O de ontém Mudo E o paradoxo mais bonito È que continuo sendo o mesmo”...

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Informativo: O Ìndio Caído

Um índio caiu no portão de casa , andava vacilante com idade avançada , não tropeçou e não estava alcoolizado , foi caindo devagar sem pressa de alcançar o chão.

O portão de casa é cinza , este senhor caiu , talvez Seu Antônio ou mesmo Seu Pedro.

João o socorreu levou-o pra dentro de casa e assim este senhor índio se apresentou sua longa breve história agora é narrada neste informativo: Senhor Antônio , nome por mim criado para este personagem brasileiro. mora em Belém em uma comunidade indígena , sua idade avança os sessenta anos , sem emprego , esposa , residência ou filhos. caiu na calçada de casa pela falta de alimentação , sua cabeça doía e o corpo tremia, seu coração o culpava por ter de aceitar ajuda de quem não conhecia. numa proposta boa recentemente chegou em São Paulo , talvez tenha sido nesta cidade que ele fora assaltado. Hoje Seu Antônio não possui RG , CPF e os demais documentos que o tornam Cidadão Brasileiro.

Seu Antônio falou pouco percebia-se logo de cara o quanto sofria com toda essa situação. a passagem de volta para Belém chega perto dos trezentos reais. depois de muita insistência aceitou um prato de comida, possuía consigo parte do dinheiro da passagem , cento e cinquenta reais que lhe fora doado por uma senhora espírita , para poupar dinheiro nesta manhã e para ser sincero não sei quantas manhãs Seu Antônio não tomara café ou outra refeição.

Veio parar nesta cidade Atibaia com a informação de que aqui conseguiria ajuda em uma Igreja Espírita , mas , hoje é domingo belo dia de sol e céu azul. Em casa realmente não sabíamos o que fazer. AJUDAR alguém traz consigo o senso de responsabilidade sobre a parte ajudada. A dúvida e a confusão aumentaram quando Seu Antônio nos contou um pouco mais sobre a sua estadia na cidade.

Seu Antônio frisou bastante e quero reforçar "Seu único objetivo é voltar para Belém , retornar para Comunidade Indígena onde vive".

Procurou ajuda junto a Prefeitura da Cidade , onde foi informado que a Prefeitura não se encarrega desse tipo de ajuda.

Os Assistentes Sociais já estão cientes sobre o seu caso e outros orgãos Municipais também.

Foi oferecido a Seu Antônio , cama , uma troca de roupas , banho. ele não aceitou sua vergonha era muita seu corpo franzino , seus olhos tristes, com uma relutância incrível levava os alimentos a boca.

Seu Antônio depois da recusa de ajuda pelos orgãos públicos / sociais / estatais passou a procurar ajuda nas Igrejas.

Na paróquia , onde foi procurar ajuda o Padre lhe informou que não poderia ajuda-lo.

Em uma Igreja Evangélica o Pastor não pode lhe ajudar , pois Seu Antônio não compartilhava da mesma fé e vivia com os índios que possuem outra fé.

A Ajuda que conseguiu em dinheiro foi de uma senhora espírita que dera metade do dinheiro da passagem.

Ao terminar de almoçar , Seu Antônio quis ir embora , solicitamos para que ficasse , descansasse recusou todas as ofertas , partiu devagar e muito agradecido insistimos e questionamos para onde o senhor vai?

E ele respondeu que ia procurar ajuda nas Igrejas.

Seu Antônio , neste momento procura uma Igreja , procura Deus , procura o Homem , procura o engenheiro que projetou o Templo , procura Ajuda.

Ainda vivo , com fome , com uma dor humana e desesperança avassaladoras Seu Antônio continua na cidade.

Caso , Seu Antônio caia novamente e dessa vez seja no portão de sua casa. AJUDE-O COM O QUE PUDER E COM AQUILO QUE ELE MAIS NECESSITE.

Todos os dias com a rotina de Cidadão Brasileiro trabalhador egocêntrico , levo uma vida sem me atentar com os Problemas Sociais e foi nesse instante com Seu Antônio caindo na calçada do portão de casa. Que me vi refletido no espelho , precisando de ajuda : sem trabalho , sem família , casa , sem comida , sem amparo , sem RG ou CPF.

No Brasil sem nada disso , Somos Ìndios sem comunidade Indígena.

Somos Òrfãos de Estado e divorciados da Sociedade que é formada por uma Pseudo-Relação de Troca.

Seu Antônio me trouxe uma luz , uma verdade ofuscante e uma dor delirante.

Desconfiei também de Seu Antônio , não fui o primeiro e não serei o último e se ele fosse ...

algum tipo de charlatão ou mesmo ladrão. é uma corrente de pensamento reativista achar um ponto horrendo pecaminoso para deixarmos de sentir amor pelo Homem e condená-lo ao sofrimeto pelos seus atos. roubou , matou é enganador merece sofrer ( foda-se ).

Acredito que ocupei-me durante essa tarde com algumas questões de cunho social, afinal ,literalmente , bateram na minha porta ( já sem forças e cambaleantes )

Não prometo acordar amanhã Revolucionário , Reacionário , Socialista , Missionário.

Este é um informativo

Com a simples intenção de informar que Seu Antônio esta no Brasil.

7 comentários:

Jones disse...

Conheço essa história... se conheço...
Até Chuck... e como sempre... Eu li...
Abraços...

Thiago Minnemann disse...

"pois Seu Antônio não compartilhava da mesma fé e vivia com os índios que possuem outra fé."

Isso que mais me toca, ter condições de ajudar e se negar por dogmatismos.

O Brasil caiu mais uma vez, impossível fechar os olhos

J disse...

Como já dito, o Brasil caiu e não é a primeira vez, ele cai a cada instante , a tudo que passa despercebido, fiz um minuto de silêncio, não por seu Antônio, mas por que se negou e se negará a ajudar.

Anônimo disse...

Deficiências

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Mário Quintana


um abraço

Anônimo disse...

"Ser ou não ser - eis a questão.
Será mais nobre sofrer na alma Pedradas e flechadas do destino feroz
Ou pegar em armas contra o mar de angústia -
E, combatendo-o, dar-lhe fim? Morrer; Dormir;"

Hamlet - William Shakespeare

...se a sua dignidade e egocentrismo não foi ao chão neste momento de leitura, por favor se retire deste mundo, pois nele já há seres que não pensam suficientes para conviver no mesmo espaço...

Chuck agora creio sim que precisamos conversar muito...o filme que te falei mostra muito disso...
Li

Dan disse...

é...Feio, ho, sim, muito feio.
mas bonito ao seu modo.

Dan disse...

E Não podemos esquecer o caximbo da paz.
Maresia, sente a maresia.

Roda